Apnéia do Sono
Apnéia do Sono corresponde à obstrução completa das vias aéreas superiores.
AGENDE AGORA

Apneia do Sono em Brasília

Quase todas as pessoas possuem alguns episódios de apneia quando dormem. Os indivíduos com mais de cinco casos por hora são considerados portadores de apneia do sono, embora os pacientes com índices de até vinte sejam raramente diagnosticados.
Especialistas em Medicina do Sono Médicos reconhecidos pelo Conselho Federal de Medicina. AGENDE AGORA

A Apnéia do sono ou a

Síndrome de Apneia-Hipopneia Obstrutiva do Sono

(

SAHOS

) corresponde à obstrução completa das vias aéreas superiores. A pausa na respiração é chamada de episódio de apneia. Ela, juntamente com o ronco, é mais comum em idosos, homens, pessoas acima do peso, portadores da micrognatia ou retrognatia (mandíbula pequena ou retraída) e pessoas com cistos, tumores, hipotireoidismo.

Dentre os vários distúrbios do sono, atualmente, a síndrome da apneia obstrutiva destaca-se como uma das mais recorrentes. Durante a apneia do sono ocorre a redução da oferta de oxigênio ao organismo, fazendo com que o indivíduo acorde para voltar a respirar. Ao fazer isso, o portador dessa síndrome acaba tendo uma privação no sono.

Quase todas as pessoas possuem alguns episódios de apneia quando dormem. O número de ocorrências de rera, apneia e hipopneia por hora de sono é chamado de índice de distúrbio respiratório. Os indivíduos com mais de cinco casos por hora são considerados portadores de apneia do sono, embora os pacientes com índices de até vinte sejam raramente diagnosticados. Dados coletados pela Sociedade Brasileira de Sono constataram que pelo menos 15% das pessoas acima de 65 anos são portadoras da apneia do sono. A síndrome também pode se manifestar em crianças, 1% a 3% dos casos.

Diversos fatores predispõem à apneia obstrutiva do sono, são eles: alterações craniofaciais (queixo pequeno, língua grande), aumento do tamanho das tonsilas palatinas e faríngeas (amígdalas e adenoide), aumento da circunferência cervical, obstrução nasal, familiares com história de ronco e apnéia do sono, anormalidades endócrinas (doenças da tireoide e acromegalia), uso de álcool, tabagismo, uso de calmantes, cansaço excessivo e idade avançada.

O ronco excessivo, a sonolência diurna, a sensação de sono não reparador e agitado, a diminuição da função sexual, a dor de cabeça principalmente ao acordar, a dificuldade de concentração e atenção, a perda de memória, a constante irritabilidade e o humor deprimidos são os sintomas mais frequentes da síndrome.

Estas desordens do sono devem ser tratadas para não haver aumento da pressão arterial, doenças no coração, derrame cerebral, impotência sexual, depressão, perda de memória, acidentes causados pela sonolência e diminuição da qualidade de vida. A mortalidade entre os portadores da síndrome que não procuram tratamento é significativamente mais alta de acordo com diversos médicos especializados.

O diagnóstico deve ser estabelecido por um médico especialista em distúrbios do sono e reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina. Muito utilizado para idenfitifcar a apneia, a polissonografia, é o exame que permite testar os potenciais elétricos do cérebro e dos batimentos cardíacos, os movimentos dos olhos, a atividade muscular, o esforço respiratório, a quantidade de oxigênio no sangue e o movimento das pernas, realizados durante o sono.

Em Brasília, o Instituto do Sono Otoface garante a realização da polissonografia em total privacidade e conforto, sendo possível, inclusive, fazer o exame de polissonografia domiciliar. Se você possui sintomas da Apnéia do Sono em Brasília não deixe de procurar nossos especialistas. Nós, do Instituto do Sono, estamos à disposição para ajudá-lo no diagnóstico e no tratamento correto, devolvendo suas melhores noites de sono.

Veja também:   Tratamento para Apnéia do Sono
Voltar ao topo