Ronco
O ronco é um ruído que acontece devido ao relaxamento da língua e das estruturas da garganta durante o sono.
AGENDE AGORA

Ronco em Brasília

O ronco frequente, (alto à noite) e os cortes na respiração são sintomas da apneia do sono, doença que pode provocar uma série de desordens no organismo.
Especialistas em Medicina do Sono Médicos reconhecidos pelo Conselho Federal de Medicina. AGENDE AGORA

O ronco é um ruído que acontece devido ao relaxamento da língua e das estruturas da garganta, principalmente do palato mole (região da úvula "campainha") durante o sono. Ao passar por estas regiões, o ar gera a vibração dos tecidos, uma vez que ele encontra dificuldade de passagem.

Quando uma pessoa está dormindo de barriga para cima, por exemplo,

roncar

pode ser considerado normal, já que a musculatura da garganta fica mais flácida e a língua cai um pouco para trás. Entretanto, esse tipo de ruído pode ser classificado como uma doença, quando ocorrem grandes e intensas vibrações.

O ronco frequente, (alto à noite) e os cortes na respiração são sintomas da apneia do sono, doença que pode provocar uma série de desordens no organismo. Essa síndrome é caracterizada pela ocorrência repetitiva de obstrução total (apneia) ou parcial (hipopneia) das vias aéreas superiores durante o repouso noturno, causando a diminuição do oxigênio. Para não provocar a ausência total do oxigênio o indivíduo acaba acordando em busca da respiração normal, o que o leva à privação de sono. A parada respiratória que ocorre na apneia tem duração de pelo menos dez segundos nos adultos, e dois ou três segundos nas crianças.

Existem diversos fatores que predispõem à síndrome da apneia, são eles: obesidade, alterações craniofaciais (queixo pequeno e língua grande), aumento do tamanho das tonsilas palatinas e faríngeas (amígdalas e adenoide), aumento da circunferência cervical, obstrução nasal, familiares com histórico de ronco e apneia do sono, anormalidades endócrinas (doenças da tireoide e acromegalia), uso de álcool, tabagismo, uso de calmantes, cansaço excessivo e idade avançada.

Durante a noite, o indivíduo que possui a síndrome da apneia do sono pode apresentar além do ronco alto, paradas respiratórias, engasgos, sufocação, agitação (debater-se na cama), vários despertares não lembrados no dia seguinte (levando a sonolência excessiva diurna), aumento da vontade de urinar (em homens que possuem doença na próstata). Tudo isso aumenta a necessidade de se levantar, tornando o sono ainda mais conturbado, além de provocar suor em maior quantidade e insônia.

É importante ressaltar que, os sintomas não prejudicam apenas o sono noturno, mas desencadeiam uma série de problemas durante a rotina diurna. O sono em excesso -que pode ocorrer tanto de manhã, quanto a tarde- dificulta a realização de atividades corriqueiras e causa redução da concentração, déficit do aprendizado, tendência ao nervosismo ou depressão, dor de cabeça, hiperatividade (em crianças), constrangimento social (em especial quando se tem que dormir fora de casa), problemas conjugais e impotência sexual. Além de todas essas consequências, quem possui a apneia do sono apresenta maior risco de ter pressão arterial alta, arritmias cardíacas, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (derrame) e morte súbita.

A resolução Nº 267 do CONTRAN exige a avaliação dos distúrbios do sono na renovação, adição e mudança para as categorias de habilitação C, D e E, já que os indivíduos com doenças relacionadas ao sono apresentam maior risco de acidentes domésticos, profissionais e de trânsito. Se as pessoas próximas a você se queixam dos seus roncos, não deixe de procurar o Instituto do Sono em Brasília.

Os especialistas da Instituto do Sono estão preparados para oferecer o melhor tratamento para ronco, a partir de diagnósticos precisos.

Veja também:   Tratamento para Ronco
Voltar ao topo